EXCELÊNCIA VERSUS PERFECCIONISMO NA LIDERANÇA

Façam tudo para a glória de Deus (1 Co 10.31)

 No palácio, na Babilônia,quando os israelitas estavam em cativeiro, Neemias, copeiro do rei, o servia  com excelência.

Servir com excelência é fazê-lo com alto padrão de qualidade. Isso implica a atitude interior de fazer as coisas como sendo para nosso Pai celestial,  ao qual amamos. E tudo o que fazemos para ele deve ter o toque da excelência. E isso não só na igreja, mas também na família, na empresa, na nossa atividade como profissionais liberais, secretárias do lar, motoristas, bombeiros, pedreiros, mecânicos, arquitetos, engenheiros,enfermeiros, médicos, pastores, diáconos ou frentistas de posto de gasolina. A excelência é a marca dos líderes eficazes.

         Tudo o que fizermos, que o façamos como para o Senhor, e não para os homens. Dessa forma, glorificamos a Deus por meio do nosso trabalho. Nessa perspectiva, não trabalhamos apenas para empresas, nem para pessoas, mas, acima de tudo, para Deus. Por isso, o nosso trabalho, qualquer que seja e onde quer que seja, deve ter a marca da excelência.

         O evangelista Marcos faz um registro extraordinário acerca das obras de Jesus. Ao relatar os milagres do divino Mestre, ele escreve: Maravilhavam-se sobremaneira, dizendo:Tudo ele tem feito esplendidamente bem (Mc 7.37).

O que Marcos coloca em destaque é a excelência com que Jesus realizava os seus feitos. Tudo o que ele fazia glorificava o Pai. E isso não inspira você e a mim de maneira toda especial? Com certeza, sim.

         O escritor de Eclesiastes faz uma recomendação enfática aos seus leitores, considerando a frugalidade da vida presente: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças (Ec 9.10). Fazer o melhor possível, conforme as nossas possibilidades, e não além delas. Ou seja, uma excelência relativa, e, não, absoluta.

         Vale a pena lembrar que excelência e perfeccionismo são coisas distintas. A excelência é relativa, como já disse.  O seu limite é o melhor de nós, o melhor ao nosso alcance. Portanto, não se ressente com a imperfeição, pois reconhece ser a perfeição um alvo inatingível por seres humanos imperfeitos e limitados. As falhas, embora indesejadas, são relevadas e vistas como oportunidades de aprender e aperfeiçoar.

Por outro lado, a excelência não admite ficar abaixo da linha do melhor possível. Já o perfeccionismo busca uma excelência absoluta,  e não admite falhas. Expressa muito mais a preocupação que a pessoa tem com sua imagem do que a atitude interior de fazer o melhor possível com a intenção sincera de honrar alguém ou a si própria pela satisfação de fazer bem feito o que se propôs a realizar.

Enquanto a pessoa que zela pela excelência inteligente e saudável celebra com alegria e está satisfeita e grata a Deus por ter conseguido realizar o seu trabalho com alta qualidade, a despeito das imperfeições, a perfeccionista que também trabalhou com excelência se estressa e se frustra por causa das imperfeições. E foca nelas as suas emoções. É como se essas imperfeições anulassem todo o mérito da qualidade conseguida naquilo que realizou. E porque não conseguiu fazer tudo perfeito, pensa que nada tem a celebrar. E sofre com isso. Portanto, pratiquemos a excelência em tudo o que fizermos sem cair na armadilha do perfeccionismo.

____________________

O autor é graduado em Liderança Cristã pelo Haggai Institute for Advanced Leadership Training (Instituto Haggai para Treinamento em Liderança Avançada), Cingapura e cursos de aperfeiçoamento em Liderança e Gestão de Equipes e Renovação Espiritual e Impacto Cultural, no Instituo Haggai do Brasil, Campinas-SP. Licenciaturas plenas em História e em Letras Inglês e Literatura da Língua Inglesa. Palestrante nas área se Liderança Cristã, Vida Cristã e Família. Intérprete inglês-português.

Imagem disponibilizada grátis no site http://br.freepik.com/fotos-gratis/pessoas-trabalhando-i_18295.htm. Acesso em  18/9/2016, às 18.53h.

21 respostas em “EXCELÊNCIA VERSUS PERFECCIONISMO NA LIDERANÇA

  1. Nossa, que percepção! Muito, legal Querido Irmão Mariano
    Percebo que Jesus de Nazaré, enquanto Cristo encarnado, excedeu em excelência em todas trajetória. Além disso, sugere à humanidade que insista nesta linha. Jesus, realmente, não projeta em nós robôs (perfeição ).
    Sim, seres humanos à sua imagem e semelhança. Capazez de viver boas mudanças, melhoria. Estimular e provocar desenvolvimento. Ser mais inteligentes, mais livres e agradaveis. Ser mais sábio, mais amável e dócil.

  2. Meu Querido Papy (postiço), texto lindo e bastante reflexivo. A abordagem me fez repensar em algumas atitudes das quais estava agindo apenas sob o prisma da perfeição e não da excelência.
    bjs no coração

  3. Grande amigo e prof. Mariano,excelente texto,muito edificante! O texto nos alerta da importância de não confundirmos excelência com perfeccionismo e o que é pior na busca da perfeição deixamos de fazer o nossa principal missão. ou seja ; ” Ide pelo mundo e prégua-o o evangelho a toda criatura.Um forte e carinhoso abraço.

    .

  4. Ildemar Teles,
    A graça e a paz do Senhor esteja sempre presente em todos nós!
    Querido irmão em Cristo e primo por laços familiares. Fiquei de imediato assustado com o título “Excelência e Perfeccionismo”, isso porque tenho a partícula “e” como um conectivo e não um comparativo, no caso, o texto apresentado.
    Entretanto o mais importante é o conteúdo, inclusive deixando bem claro que que excelência não é complemento do perfeccionismo. Muito boa a explanação e o suporte bíblico utilizado.
    Concluindo, darei uma sugestão tentando não entrar no aspecto da perfeição, mas que evitaria preconceitos negativos à apresentação: mudaria o título para Excelência versus Perfeccionismo.
    Abraços e recomendações à família com a paz do Senhor.

  5. Conceitos muito bem colocados. É sempre bom ler textos que nos edificam. Que a graça do Senhor Jesus continue com você, Mariano. Busquemos, então, a excelência.

  6. Olá Pr. Mariano!
    Como todos os textos que o senhor escreve esse também está maravilhoso.
    Gostei muito de ler. Eu tenho como alvo a excelência naquilo que realizo, mas sofro muito com o perfeccionismo que me cobro. Então, este texto me levou a refletir sobre isso. A carga pesada que levo nos ombros por conta da cobrança da perfeição. É muito pesada, eu bem sei.

    Mas no texto o que me chamou a atenção foi uma frase específica que escreveu:
    “…considerando a frugalidade da vida presente”: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças (Ec 9.10).
    Nunca pensei neste texto por esse prisma da frugalidade, sempre dos esforços que devemos fazer para a realização de algo, ou até do ponto que devemos fazer conforme as nossas forças e não além, que devemos trabalhar naquilo que conseguimos sem exigir demais de nós mesmos. Mas não havia percebido a possibilidade de analisar o tempo. E o que me ocorreu é que precisamos fazer o que a vida, Deus, nos propõe no exato momento em que a oportunidade de fazer acontece, ou então, a oportunidade passa e não a teremos mais. O tempo se vai e as oportunidades com ele, não é mesmo.
    Então, quando puder fazer faça-o, ou perderá a oportunidade. E, quando fizer faça-o com excelência aios moldes do Mestre, como diz o texto.

    Muito bom. Parabéns e obrigada por compartilhar.

    • Valeu, Denise! Fico contente pela percepção nova que vc teve ao ler o texto. Essas pepitas que Deus nos concede achar na leitura de um texto enriquecem muito a nossa vida. Parabéns! Desejo que vc progrida rápido nessa nova perspectiva de entender esse aspecto da sua vida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s